Passeios hermínios

Este slideshow necessita de JavaScript.

Chegamos ao Parque de Campismo do Vale de Rossim já passava das cinco da tarde de sábado. Montamos a tenda e fomos dar uma pequena volta de bicicleta até às Penhas Douradas, mesmo ali ao lado. O vento soprava agora mais forte e a Vanessa começava já a fazer contas à quantidade de roupa que tinha trazido para dormir. Porque é que não trouxeste o outro saco cama quentinho? O outro saco cama quentinho é o Nanga Parbat da Diamir!

Regressamos ao parque e enquanto preparo a mochila para o treino de domingo encontro uma cara que me parece familiar. Era o ultra campeão Armando Teixeira! Em estágio pela Serra da Estrela em preparação para a UTMB. No dia seguinte ia fazer Manteigas – Torre por estrada. Muita subida para mim…

O meu plano para o treino do dia seguinte era fazer Vale do Rossim -Torre – Vale do Rossim pelo cimo da Serra. Para isso teria de acordar às sete e contar com umas quatro horas de corrida. Não é todos os dias que se pode fazer um treino acima dos 1500 m.

Resolvemos ir jantar ao Museu do Pão, em Seia. Digamos que necessitaria de fazer umas duas ultras só para queimar as calorias ingeridas naquele jantar…

No regresso ao Parque de Campismo o nevoeiro já se tinha apoderado da estrada. Visibilidade de uns três metros, se tanto. Já na tenda preparo tudo para de manhã arrancar cedo.

Acordei várias vezes durante a noite. Por um lado, ainda andava a ruminar o jantar, por outro, ouvia a chuva a bater na tenda…

Acordo com o relógio a despertar. Espreito pela porta da tenda. Não consigo ver nada… Com estas condições não vale a pena sequer pensar em sair. Iria estar mais tempo parado à procura do caminho do que a correr. Volto a enfiar-me no saco cama.

Acordo novamente às oito e meia. O tempo parece querer abrir. Como um pedaço de pão trazido do Museu do Pão e preparo as tralhas. Combino com a Vanessa a hora a que devo regressar. Siga!

Começo a correr seguindo o caminho que vai em direcção à Torre. Ainda não tinha corrido 1 km quando começo a ouvir ladrar. Apercebo-me que são vários cães a virem na minha direcção e, pelo vozeirão, não são caniches. 1, 2, 3… 5 serras da estrela! Paro de correr. Deixo um dos cães farejar-me a mão. Amigo… Passados cem metros retomo o andamento.

Entro numa zona em que a vegetação cobriu parte do trilho. As gotas de água fria da chuvada da noite escorrem agora pelas pernas abaixo. Não foi preciso atravessar nenhum curso de água para ficar completamente encharcado. Sigo agora atrás das mariolas em direcção à Torre. Começo a avistar ao longe o perfil de duas esferas que me indicam a localização da Torre. Pelas minhas contas sei que não vou ter tempo de ir até lá e regressar a horas. Se tivesse arrancado às sete…

Decido seguir até ao marco geodésico e fazer o regresso a partir desse ponto. Não sei se foi da altitude ou do jantar do dia anterior mas a verdade é que nas subidas sentia-me a ofegar um pouco mais do que o costume…

Informações do percurso

De regresso ao Parque encontro a Vanessa em plena fotossíntese. Foi só o tempo de tomar banho e seguimos rumo a Linhares da Beira. Já lá não ia a algum tempo mas tinha na memória a lembrança de uma aldeia bem preservada situada a meio da encosta e com uma vista fantástica.

O melhor ainda estava para vir! Como ainda não tínhamos almoçado resolvemos ir comer qualquer coisa à Toca da Loba. Eu comi uma sopa fria de tomate aromatizada com framboesa e cubos de pão seguida de uma tiborna de camarão com salada de rúcula.  *****

Como se não bastasse acabei com um pudim de azeite, mel e laranja. Sublime!!!

O restaurante situa-se no largo em frente à igreja de Linhares e é um pretexto óptimo para uma visita à serra. Quanto mais não seja para descobrirem como se vai para as casas de banho do restaurante…

Um pensamento em “Passeios hermínios”

  1. Ouve lá!!!
    Que raio de doença é essa que tens? Apareces sempre nas fotos com o braço direito esticado.

    O pudim de azeite, mel e laranja deixou-me um bocadinho a salivar mas enfim, amanhã vingo-me numa tablete de chocolate da Nestlé.

    O resumo, trás-me à memória lugares onde vivi momentos agradáveis.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s