2012 – Odisseia x 2

Este slideshow necessita de JavaScript.

2011 foi um ano fantástico. Foi o ano em que enfiei uma argola metálica no dedo juntamente com a única mulher do mundo que tem paciência para me aturar. Foi um dia especial do qual certamente nunca me irei esquecer. Foi também o ano em que fiz a minha primeira ultra maratona e saí dela com vida. O vício apoderou-se de mim. Tomei o gosto às endorfinas.

Mas o grande acontecimento de 2011 prevê-se que se concretize em Maio de 2012. Vou participar numa das mais duras provas físicas e mentais que alguma vez existiram. A logística é complexa, o trabalho de equipa será fundamental e a capacidade de resistência será explorada ao limite. Sempre em carga. Sempre atento. Non stop. Mas como em todas as provas o mais importante é não desistir, olhar para os obstáculos com o pensamento que sim, que é possível vencer, e usufruir de todos os momentos na plenitude.

Daqui a um par de anitos espero voltar às provas de trail. Nessa altura, se tudo correr bem, poderei ter inscrito na t-shirt:

YOU CANNOT SCARE ME. I HAVE TWINS!

Um 2012 cheio de desafios para todos!

 

Programa das Festas para 2012

Aqui estão os projectos para o próximo ano:

JANEIRO

14 – Oh Meu Deus, Proença-a-Nova, 60 K

28 – Trail dos Abutres, Lousã, 45 K

FEVEREIRO

11- Galicia Máxica Night Trail

26 – Trail Conímbriga

MARÇO

10 – Oh Meu Deus, Guarda, 60 K

24 – Transgerês, ?? K

ABRIL

1 – Trilhos de Almourol, Abrantes

15 – Ultra Trail Sesimbra

MAIO

5 – Oh Meu Deus, Estrela, 104 K (?)

Fell Race 2011, Serra da Freita

Uma vez mais a Serra da Freita foi o cenário para uma das corridas mais divertidas que por cá se realizam. O vento e o frio foram os melhores incentivos para não parar de correr. Este ano resolvi colar-me desde o início ao grupo da frente para me deixar guiar por entre o planalto da Freita. No primeiro controlo estava em quinto conseguindo recuperar uma posição até ao segundo controlo. Depois da montanha russa do ano passado sabia que teria de seguir um pouco mais pela direita de forma a evitar o vale que atravessa o alinhamento entre o segundo controlo e o marco geodésico de S. Pedro O Velho. Já no caminho para a meta o Miguel Catarino apanha-me e seguimos juntos até ao final da prova.

Freedoooooommmmmmmm………!